“Que a errar, seja por agir e não por ceder ao receio. Que seja por arriscar voar e não por esperar que o vento mude.”

Perfil

//mais sobre mim

Arquivo

Posts

Terça-feira, 17 de Abril de 2012

Felizmente ninguém é feliz sozinho. Há sempre um dar e receber camuflado que na maioria das vezes nem percebemos.

É um sorriso trocado com um desconhecido na rua, as brincadeiras e gargalhadas impagáveis com o meu irmão, um acordar com a luz do sol, uma conversa com os amigos, um beijo roubado no momento, um abraço de alguém que se gosta.

As melhores  coisas não vivemos sozinhos. E ainda bem, as melhores memórias são as da segunda pessoa do plural: as nossas.

Queres ser feliz comigo?

miúda* às 15:19

Quinta-feira, 16 de Fevereiro de 2012

Tumblr_lykd0ji3ka1r2v6p4o1_500_large

 

As portas que tomamos como saídas ao que quer que nos persiga são também os pontos de entrada do desconhecido que nos pode virar o jogo.

Só estou à espera que entres.

 

miúda* às 01:00
tags: , ,

Quarta-feira, 18 de Janeiro de 2012

Tumblr_lxplrbg6c81r8pnzco1_500_large

Aqueles momentos de descontração em que não nos preocupamos se estamos de pijama ou despenteadas, se estamos bonitas ou feias, se temos fome ou nos esquecemos que tinhamos sede. Simplesmente estamos bem dispostos, a aproveitar os pequenos prazes que arrancam de nós gargalhadas e nos fazem perceber que cada momento vale a pena se for vivido assim.

 

miúda* às 08:13

Sexta-feira, 13 de Janeiro de 2012

Tumblr_lxlntf1tcp1qj5slbo1_500_large

 

"Há sempre pelo menos duas maneiras de fazer qualquer coisa: bem e mal."

 

 

miúda* às 23:17
tags: ,

Quarta-feira, 14 de Dezembro de 2011

003+%2525286%252529_large

"Não se acostume com o que não o faz feliz, revolte-se quando julgar necessário.

Alague seu coração de esperanças, mas não deixe que ele se afogue nelas.

Se achar que precisa voltar, volte! Se perceber que precisa seguir, siga!

Se estiver tudo errado, comece novamente. Se estiver tudo certo, continue.

sentir saudade, mate-a. Se perder um amor, não se perca! Se o achar, segure-o!"

 

Fernando Pessoa

 
 
miúda* às 00:16