“Que a errar, seja por agir e não por ceder ao receio. Que seja por arriscar voar e não por esperar que o vento mude.”

Perfil

//mais sobre mim

Arquivo

Posts

Domingo, 23 de Outubro de 2011

1a-5_large

É vontade, fraqueza ou mero desejo que se segura na palma da mão num trejeito indeciso? Juro que nunca hei-de perceber o que nos move e impele a agir assim ou assado.

Sabe-se o que faz mal e o que faz bem, o que dói e o que nos arranca o brilho e mesmo assim assentimos a passar por tudo como que a confirmar que se sente mesmo tudo e mais alguma coisa.

É mentira, que o fazemos porque tem de ser e por força das circunstâncias. Isso é o que dizemos aos outros tentando mentalizar-nos a nós disso.

Agimos para perceber se somos teimosos o suficiente para ambicionar e tornar real o que sabemos de antemão que está certo ou errado.

É tudo uma questão de logística sentimental num tocar para crer.

E na maioria das vezes passa-se a acreditar, pode é não ser no desejado tão afincadamente.   

miúda* às 20:27

Sexta-feira, 14 de Maio de 2010

sensuality_art: Ambra

Com que coragem abismal se tranca o passado e se abre o coração ao presente?

Saltei para a linha ténue que o limita quase que sem saber como. Mero acto mecânico ainda em curso.

Guardei o sentimento numa mão bem fechada e com a outra bem aberta abri o peito para me deixar levar. Porque já não sei mais ficar na esperança. Ninguém consegue viver na espera de quem não prometeu vir. E eu preciso viver.

Bate-me agitado o coração pelo errado, mas há momentos na vida que para que ele continue a bater é preciso deixar que alguém de carne e osso o alimente em vez do fantasma que me tece a dúvidas a coexistência de ambos.  

Preciso abrir asas e não ter medo de me dar á vida. O que foi está cá, carcomido na pele, no sangue, nas lembranças e sentimentos... Mas o futuro, esse, está tingido nas estrelinhas das acções por pensar e fugir-lhe é um erro que se paga caro.

 

miúda* às 20:16
:

Sexta-feira, 09 de Abril de 2010

spraygraphic-lia-g

 

Pergunto-me o que continuas a vir procurar aqui.

Responde-me a mim e principalmente a ti mesmo, procuras algo sobre mim... ou sobre ti??

 

 

miúda* às 00:03
:

Sábado, 27 de Fevereiro de 2010

As incertezas são um legado que vamos adquirindo e atando ao coração aos poucos.

Somos carrascos de nós mesmos.

Não são as certezas e as pisadas que se dão firmes que magoam, o que magoa são as duvidas que o enredo que nos cerca cria, que as ilusões que alimentamos nos impõem e não sabemos contrariar.

Ficam ali a pairar quais abutres ansiando o baixar da guarda e o cair de joelhos no chão de coração inanimado incapazes dum último fôlego de vontade.

Porque a vida nos mina aos poucos e é preciso caminhar prudentes e audazes usando as ambiguidades como meio de ir e não como pausa para ficar.  

miúda* às 23:32
:

Quinta-feira, 14 de Janeiro de 2010

Pensamento

Há momentos em que daria um pedaço da minha memória a troco de um pedaço de pensamento dum alguém.  

Ficam assim acções presas no ar do tempo e desprovidas de qualquer base coerente onde assentar.

Gestos dispersos em dois pólos opostos que nada mais têm em comum que o ar que sugam.

Sonhos que voam e se crêem ser algo mais quando o passado amarra o presente a uma falsa cegueira.

Sei o que quero e por onde o meu querer não passa.

Não ambiciono o que não posso ter e finco pé firme no que já possui e nunca foi meu.

Criancices e espontaneidades carentes que se rendem aos reflexos corporais de se ser humano.

 

miúda* às 20:20
: