“Que a errar, seja por agir e não por ceder ao receio. Que seja por arriscar voar e não por esperar que o vento mude.”

Posts

Quinta-feira, 28 de Abril de 2011

 

Até que ponto se acredita em sinais, coincidências ou mero acaso?

A probabilidade de um acontecimento se ir repetindo tantas vezes num só dia e ficar a girar na nossa cabeça cria um nó apertado no peito enredado a dúvida.

SÍtios tão distintos, geografias tão longe e momentos tão diferentes unidos por um único ponto que parece ter entrado na nossa cabeça e não pára d se fazer ouvir.

Não me condiciono a indícios vagos de algo que nem se sabe bem. Muito menos me rejo a filosofias ensaiadas e a grandiosidades proclamadas aos sete ventos. Limito-me à simplicidade de um questionar do porque não.

Somos homens e mulheres sem nome nem pátria na busca por algo a que possamos chamar nosso. Os rostos são meras identidades mutáveis que procuramos reconhecer a cada nova personagem que se cruza.

Apenas acredito, isso basta... por agora.  

 

“What If God Was One of Us?

Just a Slob Like One of Us

Just a Stranger On the Bus

Trying to Make His Way Home”

miúda* às 21:16

Coincidências....palavra gira no dia de hoje
Otto a 29 de Abril de 2011 às 21:36