“Que a errar, seja por agir e não por ceder ao receio. Que seja por arriscar voar e não por esperar que o vento mude.”

Perfil

//mais sobre mim

Arquivo

Posts

Segunda-feira, 28 de Junho de 2010

 

 Há pessoas que vão acampar para a praia, a mim parece-me que tenho de ir acampar para a Segurança Social!! Após uma manhã inteira de espera a olhar para a mulher que estava no atendimento só tive vontade de a esganar! Eu e uma sala inteira de espera que se pudesse arrancava a cabeça á dita senhora! Ela não era só lenta, era muito, muito, exaustivamente lenta a ponto de parecer que tinha de pedir licença a uma mão para mexer a outra! E então quando ela se levanta do nada para ir mandar uns senhores que conversavam porque estava a incomodar o trabalho dela, que se eles tavam ali na conversa ela trabalhava foi algo que levou a que a sala explodisse numa gargalhada e pedissem á dita senhora que fosse mas era a um certo sitio, que com tanta gente no desemprego aquele lugar ficava melhor ocupado!

Este país está uma desgraça, para uma coisa que demorou 30 segundos a resolver estive lá várias horas! E aproveito para agradecer às senhoras que estavam á minha frente e perante a lentidão da funcionária optaram por ir embora e recorrer a outra delegação. Sim porque com aquela mulher no atendimento ainda agora havia possibilidade de estar naquela sala de espera!

 

miúda* às 16:49
:
tags:

Sábado, 26 de Junho de 2010

zinotchka : margaretdurow.com

Por vezes apetece-me vomitar a alma cá para fora. Como se isso fosse o remédio e a cura de uma qualquer dor que o corpo não sabe sentir e que mundo parece ignorar.

Estou doente, todos estamos. Doentes do coração e da capacidade de ser humanos.   

Debruço-me, somente, para logo me tentar içar a um patamar algures de racionalidade. Sou voyeur do que me cerca na confusão. Não sei o que me falta para colmatar a cólera que me percorre a espinha quando a mesquinhez dos demais se torna perceptível demais para ignorar.

Fraqueza duns e doutros em assumir com coragem um mero olhar ou presença que vá para lá do que ficou retido no passado.

Somos seres cobardes que não sabem viver nem caminhar de pés descalços. Regidos a medos e deslealdades para com o direito a ver para lá do que está mesmo a nossos olhos.   

Fracos e tímidos demais para um assumir profundo do real quando o corpo teve na saciedade de um desejo momentâneo o que não tem na distância de um querer. 

Incomoda-me a frieza que não sou capaz de ter e os escrúpulos que me ganham quando a raiva está preparada para me explodir o corpo perante o mundo.

Revolta-me a vontade e dá-me pena de quem existe por existir renegando tudo o que um mero sopro pode desencadear.

 

miúda* às 19:57
:

Sexta-feira, 25 de Junho de 2010

3zar: نقاب را بردار !!! Remove mask

A vida está cheia de máscaras.

Não sabemos viver sem elas. Ás vezes é um pouco acordar, olhar o espelho e de acordo com o que nos parece atravessar a garganta colocar o nosso melhor sorriso ou um qualquer sorriso ténue que nos oculte uma forma de dor e um pensamento.

Porque reagimos consoante as pessoas, os sons, as vidas e os toques mais ou menos profundos que nos imprimem na alma.

Torna-se inevitável.

É algo em que caimos quando a inocência da infância vai ficando cada vez mais pequena até por fim caber numa caixinha que se guarda bem longe da luz e de olhares indiscretos. E, então, tão naturalmente como colocar uma peça de roupa quente no corpo colocamos uma segunda camada de expressão. Que nos permita mostrar ao mundo quanto somos felizes ou tão somente como somos ferozes na batalha diária para alcançar o que queremos.

A camada fina que nos reveste, essa fica intacta, impávida e serena aguardando a noite chegar e na solidão ou no conforto de um ombro demasiado familiar poder finalmente cair sem que se corra o risco de um golpe preciso e fatal que nos corroa o coração e nos lacere o orgulho. 

  

 

miúda* às 21:30
:
tags: , ,

Quinta-feira, 24 de Junho de 2010

Photobucket

 

Fácil de entender.

 

miúda* às 13:23
:

Quarta-feira, 23 de Junho de 2010

Untitled / Jesica Gomez

Tempo para mim.

Tempo para balanço.

Para por as ideias no sitio.

Para me curar o cansaço que não passa com as noites de sono.

Amanhã tudo passa.

Hoje ainda estou chateada com o mundo. 

 

 

 

miúda* às 01:14
:
tags: , ,