“Que a errar, seja por agir e não por ceder ao receio. Que seja por arriscar voar e não por esperar que o vento mude.”

Perfil

//mais sobre mim

Arquivo

Posts

Segunda-feira, 31 de Maio de 2010

miúda* às 16:48
:

Domingo, 30 de Maio de 2010

Untitled / Primo Tacca Neto

Acho sempre que me tenho de moldar aos outros.

Que tenho de me desviar quando os corpos se cruzam. Que tenho de baixar o olhar quando os olhares se tocam… enganos que vou assimilando em fase de mudança.

Sou um erro em estado puro mas valho mais, sou mais ainda, apenas ainda não me apercebi do quanto.

Um mundo sozinho que emerge flutuante na terra quente onde caminho descalça para melhor sentir cada essência, pedra e pó.

Cresço no encanto de ser feliz, qual criança que se perde nos campos demasiado extensos do horizonte.

E quando for mulher e perder os trejeitos de criança fecharei os olhos tendo em mim a única e plena certeza de que nada ficou por viver ou sequer sentir.

 

miúda* às 22:44
:

Quinta-feira, 27 de Maio de 2010

bonesarebeautiful:  (via federleicht)

“Tenho saudades tuas” gritou com o olhar, no acto irreflectido ao procura-lo. Só por 3 segundos. Para saciar o desejo de o ver.

Acenou-lhe ao longe. E ele devolveu-lhe o sorriso.

Um sorriso inexpressivo. Talvez forçado.

Não quis saber. Foi-se embora.

Por apenas 3 segundos. Segundos absortos em silêncios de uma despedida antiga, por acontecer. Há sorrisos que nunca mais voltamos a ver.

 

Seguiu em frente. Aquele já não era, há muito, o seu lugar.

Porque há lugares que descobrimos e amamos, mas que não podemos ficar. Ela já tinha amado aquele lugar. Mas agora, tão pouco o pode visitar.

 

3 Segundos de olhar. Segundos que preenchem o vazio da ausência. Olhar, só para parar de recordar. As recordações baralham, torturam. Há olhares que amamos sem perceber, entram-nos na alma, cravam-se no peito. Cegam-nos de prazer. Ela já amou aquele olhar. Mas agora os olhares escondem-se na escuridão, que é olhar sem ver.

 

3 Segundos bastaram. Para o beijar. Na boca, na língua, na pele. Beijar sem respirar. Há beijos que não se conseguem evitar. Ela já amou aquele beijo. E pensou que aquele beijo a amava também. E confundiu o seu beijo angustiado da partida, com a despedida. Fria. Silenciosa. Que o beijo dele tem. Há beijos, violentamente desejados em segundos perpétuos, ancorados em terra de ninguém."

 

closet


Segunda-feira, 24 de Maio de 2010

É oficial... começo a ficar seriamente em pânico com a quantidade de trabalhos e frequências que tenho e que mais parecem formigas a multiplicar-se e a sair dum formigueiro!!!

Se perguntarem por mim, estou algures em frente ao pc, mesmo ao lado das pilhas de livros, das canecas de café e das latas de redbull. Serei aquele ser despenteado, a babar, o cérebro em papa e a aparentar um critico estado vegetativo... não há nada que enganar!   

 

miúda* às 19:08
:

Sexta-feira, 21 de Maio de 2010

Falling Up

 

Dizem que o céu é sempre longe demais.

E eu acredito.

Ando mais rasteira com o tormento que com as ténue nuvens que vão aparecendo tímidas pintando o azul celeste.

Dizem também que sorte ao jogo azar ao amor. Por via das dúvidas não voltar a jogar às cartas. Ganhar quase sempre deixa de fazer sentido e torna-se apenas uma mera constatação que a sabedoria popular por vezes acerta, e nesse entretanto o amor vai-me contornando as voltas baralhando-me num gozo divertido…

 

 

 

 

miúda* às 21:37
:
tags: , ,