“Que a errar, seja por agir e não por ceder ao receio. Que seja por arriscar voar e não por esperar que o vento mude.”

Perfil

//mais sobre mim

Arquivo

//comentários recentes
That's why we have to work hard!
Venho eu descansada...pronta a divagar pelo blog q...
Não resisti a voltar e continuo por aqui, apenas n...
//arquivos
2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


//pesquisar
 
//passageiros...

blogs SAPO


Universidade de Aveiro

Posts

Sábado, 12 de Maio de 2012

Tumblr_lxa40vudbe1r8k91lo1_400_large

Dizem à boca cheia que tudo o que conseguimos na vida depende de nós e das nossas ações mas para tudo na vida é preciso uma certa dose de sorte.

Pode-se estrebuchar, esfolar joelhos e cotovelos ou perder a voz de tanto gritar porque no fim de contas é aquela grama de sorte ou azar muda tudo. E não lhe podemos fugir. Nem contornar nem passar longe. Porque a vida é isto. Dependemos do que não controlamos.

Pode haver quem não acredite, almas ingénuas que procuram na racionalidade o que não tem explicação. A essas eu sorrio e continuo porque também eu já fui assim.

É uma sina que nos molda e quando não é para ser não adianta quantas vezes fazemos das tripas coração porque o destino troca-nos as voltas antes mesmo que tenhamos tempo de lhe baralhar as cartas.

 

miúda* às 13:01
tags: , ,

Quarta-feira, 02 de Maio de 2012

Tumblr_m2k8y1pvqz1qe0mnlo1_500_large

Saio com umas amigas com que não estava á algum tempo e de permeio numa das conversas no bar entra um grupo de conhecidos. “Já dei umas voltas com aquele” diz uma delas baixinho. Passado um pouco chama de novo a atenção “estão a ver aquele ali de camisola azul e olhos verdes? Aquele que está a falar com o que dei umas voltas, também já me diverti com ele”. Fala baixinho mas de olhar confiante. E, nisto, alguém lhe pergunta pelo X e ela responde descontraidamente que é não é nada sério, é apenas para dar umas voltas, perante o olhar escandaloso de umas e o ar de “és a minha heroína” de outras. Assisto é cena sem conseguir evitar sorrir e faço as contas mentais às aventuras que lhe sei e às que provavelmente nunca irei sequer suspeitar. Lembro-me duma á uns anos naquele jantar em que o A trouxe dois amigos para conhecermos. Ninguém sabia onde ela se tinha enfiado quando de repente ela aparece com um dos amigos meio despenteados e esbaforidos vindos de um dos quartos.  

Admiro a sua descontração de levar a vida mas não lhe invejo nada.

Ela é feliz assim e condena-me porque não faço o mesmo que ela. Que tenho 24 anos e não estou a aproveitar a vida. Talvez, mas ter aventuras de uma noite para mim nunca será a minha forma de aproveitar a vida, há mais para além de noites em que se deita acompanhada e se levanta sozinha.

miúda* às 03:29

Terça-feira, 24 de Abril de 2012

549384_351876054863431_121817081202664_1044084_927005509_n_large

 

miúda* às 01:39
tags: ,

Segunda-feira, 23 de Abril de 2012

306526_289424214475312_225906550827079_682043_882390217_n_large

Aquele momento em que depois de te atirares para cima da cama com vontade de dar um tiro na cabeça ficas a romoer o "corta" que tens de dar na tua vida mas que por algum motivo insano insiste em permanecer inteiro.

Sempre se ouviu dizer que se não fores não sabes até onde a coisa pode ir. Alguma lógica há-de ter ou vai dai não e quando a cabeça não tem juízo o corpo é que paga.

 

miúda* às 00:46
tags: , ,

Segunda-feira, 16 de Abril de 2012

391155_266814890039823_159380894116557_594894_1936807071_n_large

 

"Tenho por meu desespero
Dentro de mim o castigo
Eu digo que não te quero
E de noite sonho contigo"

 

Preciso de uma overdose de café.

Às vezes não nos deviamos lembrar dos sonhos. Traduções erróneoas, assim ao jeito de forçar que bem podemos dizer mil e uma coisas da boca para fora, exalar com com cada poro e transparecer com cada gesto e trejeito que nos saia lançado do corpo o que quisermos e bem entendemos.

Porque de noite, e só de noite o bicho que trazemos nos peito acorda para desmentir tudo aquilo que não soubemos transformar em verdade.

 

  

miúda* às 11:07