“Que a errar, seja por agir e não por ceder ao receio. Que seja por arriscar voar e não por esperar que o vento mude.”

Posts

Segunda-feira, 14 de Maio de 2012

le petit français

Aquele momento em que quando se anda á procura de uma foto se encontra outras que nem nos lembrávamos ter.

Olha-se para as pessoas da foto e nota-se os sorrisos. Parecem bem. Mas as fotos continuam e os sorrisos esvanecem-se de imagem para imagem até já não haver fotos que os enquadrem.  

Rebusca-se na memória um só motivo para se ter gostado e cai-se num silêncio embaraçoso. Não há um motivo nem um único elemento que se possa dizer foi daquilo.

Às vezes em vez de nos apaixonarmos pelas pessoas apaixonamo-nos pela ideia que fazemos delas. E então sem dar por isso a ideia morre e tudo parece ainda mais descabido num total acesso loucura que nos tomou.  

Mas há sempre um sítio onde o escuro não chega para nos levar e nasce uma vontade para nos trazer.

 

miúda* às 16:13